terça-feira, 24 de março de 2015

Fortes chuvas, nos últimos dias, na Região do Alto Oeste Potiguar.


Ocorreram fortes chuvas em vários municípios do Alto Oeste Potiguar nos últimos três dias. Neste fim de semana, no município de Rafael Fernandes, o volume de água ultrapassou os 100 mm. A primeira chuva foi registrada na tarde de sábado (21) com variações em diversos pontos do município. Na comunidade Varzinha, distante acerca de 1,5 km da sede, o acumulado foi de 65 mm, já na comunidade Gangorra o acumulado foi de 127 mm.
As chuvas continuaram na tarde deste domingo (22) onde o acumulado até às 21h foi de 40 mm. Na comunidade de Gangorrinha choveu, na tarde de sábado, 98 mm; domingo choveu 40 mm e segunda-feira choveu 63 mm, totalizando um acumulado de 201 mm nestes três dias. 


Com os fortes volumes registrados ocorreram também as enxurradas, trazendo uma imagem que há muito tempo não se via, como a passagem da água no Riacho Gangorra abaixo da ponte na entrada da cidade.


Segue indicies pluviométricos, dessa segunda-feira, em alguns municípios do Alto Oeste Potiguar: Pau dos Ferros 50 mm; São Miguel 50 mm; Luís Gomes 15 mm; Água Nova 62 mm; Dr. Severiano 30 mm; Encanto 83 mm; Francisco Dantas 45 mm; José da Penha 30 mm; Paraná 23 mm; Portalegre 32 mm; Riacho de Santana 40 mm; São Francisco do Oeste 57 mm; Venha Ver  34 mm; Viçosa 31 mm; Alexandria 65 mm; Patu 09 mm; Lucrécia 20 mm; Marcelino Vieira 81 mm;  Messias Targino 25 mm e  Umarizal 10 mm. Ainda choveu pela manhã em vários municípios do Alto Oeste Potiguar.

Fonte: Colaboração do Portal Rafael Fernandes, Nosso Paraná e 7º BPM.

sábado, 21 de março de 2015

Professora da UFMG é cotada para assumir Ministério da Educação.


A saída brusca de Cid Gomes (PROS-CE) do comando do Ministério da Educação, após atritos e discussão com a base aliada do governo federal, pode abrir espaço para a mineira Nilma Gomes, professora da UFMG e que hoje ocupa o comando da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (SEPPIR). Isso porque ela, junto do ministro da Comunicação Ricardo Berzoini, é favorita para assumir a pasta deixada pelo ex-governador do Ceará.


De acordo com um integrante do PT, Berzoini conta com o apoio da maior tendência interna do partido, a "Construindo um Novo Brasil", grupo que o ex-presidente Lula e o presidente nacional da sigla, Rui Falcão, fazem parte. Por outro lado, Nilma tem trâmite mais fácil nos movimentos educacional e negro, além de ter o apoio, de acordo com a fonte ouvida pela reportagem de O TEMPO, do ministro chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, que chegou a ocupar o Ministério da Educação durante o primeiro mandato de Dilma Rousseff.
Perfil

Natural de Belo Horizonte (MG), Nilma Lino Gomes é a nova ministra de Estado Chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República. Pedagoga, mestra em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-doutora em Sociologia pela Universidade de Coimbra, Nilma é docente do quadro da UFMG e pesquisadora das áreas de educação e diversidade étnico-racial, com ênfase especial na atuação do movimento negro brasileiro.

Ela foi a primeira mulher negra a chefiar uma universidade federal ao assumir o cargo de reitora pro tempore da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), cargo que ocupou desde abril de 2013. Além disso, Nilma Gomes integra o corpo docente da pós-graduação em educação Conhecimento e Inclusão Social - FAE/UFMG e do Mestrado Interdisciplinar em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis (UNILAB). Foi Coordenadora Geral do Programa de Ensino, Pesquisa e Extensão Ações Afirmativas na UFMG (2002 a 2013).


É membro da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), Associação Brasileira de Antropologia (ABA) e da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN), da qual foi presidente entre os anos 2004 e 2006. A ministra da SEPPIR também integrou a Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (gestão 2010 - 2014), onde participou da comissão técnica nacional de diversidade para assuntos relacionados à educação dos afro-brasileiros.

Fonte: site o tempo

sexta-feira, 20 de março de 2015

Caravana da Justiça fecha primeira semana de greve dos trabalhadores do Judiciário.

A primeira semana de greve dos trabalhadores do Judiciário Potiguar foi fechada com um ato público no Fórum Varela Barca, Zona Norte de Natal, seguido da caravana da Justiça - carreata com cerca de 300 carros, que saiu daquela região da cidade com destino à sede do TJRN, na Cidade Alta, promovendo um grande buzinaço contra o auxílio-moradia para juízes. “Nossa greve está cada vez mais forte. Estamos unidos e vamos vencer”, afirma, emocionado, Bernardo Fonseca, dirigente do Sindicato da Justiça (SISJERN), presente ao ato.

A categoria luta pela não implementação das medidas contra os servidores anunciadas pelo Presidente do TJRN, Des. Cláudio Santos; pela fixação de uma data-base; e pela progressão funcional, conforme lei. Entre as medidas de Santos, está a Portaria que dispensou os Diretores de Secretaria, já tornada sem efeito por ato do Juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública do TJRN, Luiz Alberto Dantas Filho, que atendeu pleito liminar solicitado por Ação Civil Pública do Sindicato da Justiça (SISJERN). Agravo de Instrumento da PGE sobre a questão foi negado pelo Des. Vivaldo Pinheiro, que manteve o entendimento de Dantas Filho.
O movimento paredista começou na última terça-feira, 17/03, com mobilizações em sete cidades e com ampla adesão, só permanecendo no trabalho o número de servidores necessário ao cumprimento da Lei de Greve.

No dia seguinte, cerca de 700 servidores lotaram a Praça Sete de setembro, em frente à sede do TJRN, em Natal, tendo sido recebidos por vários deputados estaduais, inclusive pelo presidente da Assembléia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PMDB), e pelo líder do Governo, Fernando Mineiro (PT).

Já na quinta-feira, 19/03, foi a vez do Complexo Judiciário (antiga fábrica Borborema) ter seu estacionamento ocupado por 300 grevistas.

A greve foi deflagrada após o Pleno do TJRN, em Sessão no dia 11/03, ter aprovado, por unanimidade, anteprojeto que congela a Gratificação de Técnico de Nível Superior (GTNS). Os desembargadores aprovaram também, com apenas um voto contra – do magistrado Jarbas Bezerra - outro anteprojeto, que revoga o Adicional por Tempo de Serviço (anuênio).

Na ocasião, a equipe de foto/filmagem do Sindicato da Justiça (Sisjern) foi impedida de ter acesso à Sessão, sendo escoltada militarmente até à Secretaria de Comunicação do TJRN, quando, depois de um tempo, foi comunicada da proibição de acessar o plenário. Situação semelhante ocorreu com vários servidores, que tiveram negado o acesso à galeria, prática repudiada pela diretoria do Sindicato. Na Sessão do dia 18/03, o TJRN voltou a dificultar o acesso ao plenário da categoria e da equipe de foto/filmagem. Os anteprojetos seguem para a Assembléia Legislativa, onde serão apreciados.

Fonte: Site do Sisjern.

 
Cosme Júnior